Tronco Comum entre os Bivar e os Azevedo


LOPO DIAS DE AZEVEDO
XIV SENHOR DO COUTO DE AZEVEDO
I SENHOR DE SÃO JOÃO DE REI
Tronco comum dos Bivar e dos Azevedo


  1. Lopo Dias de Azevedo (I), XIV Senhor do Couto de Azevedo, V Senhor de Souto de Riba d’ Homem, VII Senhor da Quinta de Crastro, I Senhor de S. João de Rei, Aguiar de Pena, Jales e Terras do Bouro, achou-se na conquista de Ceuta (1415) com seus filhos, fº de Diogo Gonçalves de Azevedo (1329-1369), XIII Senhor do Couto de Azevedo e VI da Quinta de Crastro, e de s/mer D. Aldonça Coelho, fª herdeira de João Soares Coelho, Sr. das Terras do Bouro. C.c. D. Joana Gomes da Silva, fª de Gonçalo Gomes da Silva, Rico-Homem, I Sr. de Vagos, etc, Chefe dos Silva, e de s/mer D. Leonor Gonçalves da Fonseca .Tiveram, entre outros:

  1. Lopo Dias de Azevedo (II), achou-se na conquista de Ceuta com seu pai e irmãos, Sr. da Ponte de Sôr, de Aguiar de Pena, etc, Alcaide-Mor de Sintra, tendo-lhe sido confiscados os bens por seguir a parcialidade do Infante D. Pedro, com o qual se achou na batalha de Alfarrobeira, onde morreu (1449). C.c. D. Brites Garcez, Dama da Infanta D. Isabel de Aragão, mulher do Infante D. Pedro.
 Tiveram, entre outros:

  1. D. Aldonça da Silva, terá casado, cerca de 1450/55, conforme procurarei demonstrar em trabalho a publicar, com Pedro de Bivar, nascido cerca de 1423, Moço Fidalgo da Casa de D. Fernando, III Duque de Bragança, fº de Afonso de Bivar (I) e de s/mer D. Joana de Menezes. Pedro de Bivar casaria 2ª vez com D. Mecia Lobo, fª de Lopo Fernandes Lobo e de s/mer D. Maria Vaz Mascarenhas, com geração extinta. Do 1º casamento com D. Aldonça da Silva, terá nascido:

  1. Afonso de Bivar (II), nascido cerca de 1448, Comendador de São Tomé de Alencarças (Comenda de Soure), na Ordem de Cristo, Cavaleiro Fidalgo da Casa de D. Manuel I,  Contador da Casa do Rei D. Manuel I (1497), Contador das Comarcas e Almoxarifados de Leiria e Óbidos (1473), Monteiro-Mor das Matas de Leiria (D. Afonso V). C.c. D. Isabel Vieira, com geração, até hoje, que deixou de usar o nome Bivar. Depois de viuvo, em 1492, já Comendador da Ordem de Cristo Afonso de Bivar (II) teve de Mecia Josefina, solteira, 2 filhos, legitimados por Carta régia de 19.03.1511, Tomé (em atenção ao patrono da Comenda do pai, São Tomé) e António, que segue:

  1. António de Bivar, nascido cerca de 1494, Fidalgo da Casa de D. João III, foi-lhe passada Carta de Chapa (ordenança), em Goa. Ignora-se com quem casou, mas julga-se ser seu filho:

  1. Manuel de Bivar, nascido cerca de 1519, c.c.D. Isabel Garcia, filha de Duarte Garcia e neta de Pero Garcia, “o Fidalgo Rico”, Instituidor do Morgado de São João de Almeida e da Misericórdia dessa vila. Progenitores dos Garcia de Bivar e, por via destes, dos Bivar Weinholtz.

Lopo Dias de Azevedo (II), nº 2 acima teve outro filho:

  3. Pedro Lopes de Azevedo, Fidalgo Cavaleiro da Casa de D. Manuel I, Contador de Arzila. C.c. D. Aldonça de Castro. Com geração que toca os Azevedo, de São Pedro de Penaferrim, Sintra, e por via destes, os Bivar de Azevedo.

Lopo Dias de Azevedo (I), nº 1 acima, teve outro filho:

 2. João Lopes de Azevedo, II Sr. de São João de Rei, das Terras do Bouro e de Aguiar de Pena, da Quinta do Paço, em Vila Real, etc., falecido em 1433. C.c. D. Leonor Leitão, fª de Vasco Martins Leitão, Sr. da Ota e Albufeira, Alcaide-Mor de Portalegre, e de s/mer D. Inês Afonso Pimentel. Tiveram, entre outros:

 3. D. Beatriz Leitão, c.c.Vasco Martins de Melo, Guarda-Mor de D. João I e de D. Duarte, Alcaide-Mor de Évora e Castelo de Vide, fº de Martim Afonso de Melo, Sr. de Arega e de Barbacena e da Quinta de Água dos Peixes, Alcaide-Mor de Évora, Guarda-Mor de D. João I, e de s/mer D. Briolanja de Sousa. Com geração que toca os Albuquerque de Mendoça Furtado e, por via destes, os Bivar Weinholz.

Lopo Dias de Azevedo (I), nº 1 acima, teve outra filha:

2. D. Filipa de Azevedo, c.c. Luis Gonçalves Malafaya, Rico-Homem, Embaixador  a Castela e Roma, Vedor da Fazenda, combatente na conquista de Ceuta, em 1415, fº de Gonçalo Pires Malafaya, Escrivão da Chancelaria de D. Fernando I, Vedor da Fazenda de D. João I, Regedor da Casa da Suplicação (o 2º no cargo), e de s/mer D. Maria Eanes. Com geração que toca os Azevedo Malafaya, e por via destes, os Azevedo Queiroz e, finalmente, os Bivar de Azevedo.



  


Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo