Costados Bivar I - Almada-Avranches

I. D. Alvaro Vaz de Almada (+ 1449)
 III Sr. do Morgado dos Almada, I Conde Avranchea (Normandia), Cavaleiro da Ordem da Jarreteira (Inglaterra), Capitão-Mor do Mar dos Reis de Portugal, D. Duarte e D. Afonso V, Alcaide-Mor de Lisboa, um dos 12 Cavaleiros do torneio de Inglaterra, partidário do Infante D. Pedro, com ele morreu em combate na batalha de Alfarrobeira. C.1ºc. D. Isabel da Cunha, fª de D. Alvaro da Cunha, Sr. de Pombeiro (fº de D. João Lourenço da Cunha e de s/mer D. Leonor Teles de Menezes, depois Rainha de Portugal) e de s/mer D. Brites de Melo. C.2ºc. D. Catarina de Castro, fª de D. Fernando de Castro, Governador da Casa do Infante D. Henrique, e de s/mer D. Isabel de Ataide. Teve entre outros:

II. D. João de Avranches, primogénito do 1º casamento, que segue.

II. D. Fernando de Almada (do 2º casamento)
II Conde de Avranches, sucessor de seu pai nos bens da Coroa. C.c. D. Constança de Noronha, fªª de Rui Vaz Pereira, o Velho, Sr. de Cabeceiras de Basto e de s/mer D. Brites de Noronha.
Com geração em Condes de Almada e Avranches.

II. D. João de Abranches
IV Sr. do Morgado dos Almada, tendo perdido os bens da Coroa por seu pai ter seguido o Infante D. Pedro. Conde de Oliva (Valência), Barão de San Vicente de Llobregat e de Molina del Rey (Catalunha), por mercê do Condestável D. Pedro, Rei de Aragão (1464), fº do Infante D. Pedro, o da Alfarrobeira. C. 1º c. D. Leonor Roget, irmã de Hugo Roget, Conde de Pallas, Condestável de Aragão, sem geração. C.2ºc. D. Mecia da Cunha, fª de D. Vasco da Cunha e de s/mer D. Maria Rodrigues de Azevedo, Dama da Rainha D. Leonor. Teve sucessor

III. D. Alvaro de Abranches (+1563)
V Sr. do Morgado dos Almada, do Conselho de D. Manuel I e seu Mestre-Sala, Comendador da Ordem de Cristo e de Santiago de Beja, Capitão de Tanger e de Azamor, poeta do Cancioneiro mGeral. C.c. D. Joana da Cunha, fª de Jorge de Melo, o Bochechas, Mestre-Sala de D. Manuel I e de s/mer D. Isabel Pereira. Teve entre outros

IV. D. João de Abranches
VI Sr. do Morgado dos Almada, Comendador de Bobadela, de Gundar de Vila de Rei e de Beja, Capitão de Diu, morreu em Alcácer Quibir. C.1º c. D. Isabel de Lima, sem geração; c.2ºc. D. Antonia da Silva, fª de Lopo de Sousa Ribeiro, Comendador de Pombal e de s/mer D. Joana Couceiro de Alvim. Foi sua filha e sucessora, D. Guiomar de Abranches, VII Sra. do Morgado dos Almada, c.1ºc. s/primo co-irmão D. Pedro de Abranches, morto em Alcacer Quibir, sem geração; c.2ºc. D. Francisco da Câmara Coutinho, Comendador de São João da Castanheira, fº de D. Rui Gonçalves da Câmara, I Conde de Vila Franca, Capitão General da Ilha de São Miguel dos Açores e Sr. Donatário de Ponta Delgada, e de s/mer D. Joana Blasvelt (Redondo). Com geração em Marqueses de Vagos, Condes de Aveiras, etc.

IV. D. Pedro de Abranches, que segue

IV. D. Pedro de Abranches
Mestre-Sala de D. João III, Embaixador a Carlos V, Comendador de Ansiães, casado com D. Brites de Noronha, fª herdeira de Pedro Pantoja, Comendador de Santiago do Cacém, Alcaide-Mor e Comendador de Tavira, Chefe dos Pantoja, e de s/mer D. Margarida de Mendonça. Foi sucessora, por morte de seus irmãos:

V.  D. Joana de Noronha
Casada com Francisco de Mendoça Furtado, IV Sr. e Alcaide-Mor de Mourão, Comendador de São Pedro de Pinhel, Governador e Capitão General de Mazagão, fº de Diogo de Mendoça, III Sr. e Alcaide -Mor de Mourão e de s/mer D. Maior Manuel de Villena. Teve sucessor

VI. Pedro de Mendoça Furtado, que segue

VI. Pedro de Mendoça Furtado (1592-1652)
V Alcaide-Mor de Mourão, Alcaide-Mor e Comendador de Santiago do Cacém, Comendador de São Vicente de Vila Franca de Xira, Sr. do Morgado dos Pantoja e da Casa dos Almada-Abranches (Mestres-Sala do Rei), Lugar-Tenente do Comendador-Mor da Ordem de Santiago, Príncipe D. Afonso (futuro Rei D. Afonso VI),Guarda Mor de D. João IV, um dos principais Restauradores de 1640 e o que convenceu o Duque de Bragança a aceitar a Coroa de Portugal. C.1ºc. D. Catarina de Menezes, fª herdeira de D. João Telo de Menezes, Sr. do Morgado da Quinta de Oliveira, Comendador de Sta. Maria de Ancede e de s/mer D. Catarina de Menezes; c.2ºc. D. Antónia de Mendoça e Albuquerque, fª e sucessora de D. Jerónimo Manoel, "o Bacalhau", Comendador de São Miguel de Traviscoso e de São Martinho da Amoreira, Capitão-Mor da Armada da India, Porteiro-Mor do Rei Filipe I, e de sua mulher D. Maria de Mendoça e Albuquerque, IV Sra. do Morgado dos Albuquerque (de Afonso de Albuquerque), depois chamado da Bacalhoa (Azeitão). Teve

Do 1º casamento

VII. Francisco de Mendoça Furtado (1620-depois de 1673)
VI e ultimo Alcaide-Mor de Mourão, na sua família, Alcaide-Mor de Santiago de Cacém, Comendador de São Vicente de Vila Franca de Xira e de São Pedro de Pinhel, Governador e Capitão General de Mazagão, Governador das Armas de Castelo Branco. Cabeça da conspiração de 1673, que visava repôr D. Afonso VI no trono usurpado por seu irmão o Infante D. Pedro, foi sentenciado à morte e confiscados os seus bens. Conseguiu, no entanto, fugir para Espanha onde viveu até ao seu falecimento, usando o título Marquês de la Torre de Almendralejo, com que, em 1668, havia sido agraciado pela Rainha Viúva, Regente de Castela, e exercendo o cargo de Regidor de Fregenal de la Sierra. C.c. D. Isabel de Melo, fª de Francisco de Melo, Monteiro-Mor do Reino e de s/mer D. Luisa de Mendonça, sem geração. Teve de D. Maria de Melo, fª de de D. Paulo de Moura e de s/mer D. Brites de Melo, D. Maior de Mendoça que c.c. João de Almada e Melo, Alcaide-Mor de Palmela, Comissário da Cavalaria da Beira, com geração em Viscondes de Vila Nova de Souto d'El-Rei, Condes de Tavarede, descendência dos I Marqueses de Pombal, etc.

Do 2º casamento

VII. D. Luis de Mendoça Furtado e Albuquerque (1627-1677)
I Conde de Lavradio (1670), na sua família, Sr. Donatário de Lavradio (por sua iniciativa elevado a vila), VIII Sr. do Morgado e Palácio da Bacalhoa, Governador (1661) e Vice-Rei da India (1671-1677), dos Conselhos de Estado e da Guerra, etc. Faleceu solteiro e sem geração, deixando por sucessor e herdeiro testamentário seu irmão Jerónimo.

VII. Jerónimo de Mendoça Furtado e Albuquerque, que segue.

VII. D. Mariana Josefa de Mendoça
Veio a suceder no Morgado da Bacalhoa, por impedimento de seu irmão Jerónimo e por morte sem geração de outro irmão, Nuno, Cónego da Sé de Évora, estado de que renunciou para suceder naquele vinculo e casar. C.c. Pedro Guedes de Miranda, X Sr de Murça, Estribeiro-Mor, com geração em Condes de Murça, Condes de São Lourenço, Marqueses de Sabugosa, Condes de Mesquitela, etc.

VII. Jerónimo de Mendoça Furtado e Albuquerque (1630-1692)
Governador e Capitão General de Pernambuco, Cavaleiro da Ordem de Malta, combatente das guerras da Restauração, tendo-se distinguido heroicamente no combate de Cavalaria de Arronches (1653) e na batalha do Ameixial (1663), tendo, respectivamente, sido agraciado com uma Comenda e recebido o governo de Pernambuco. Foi julgado cúmplice de seu meio-irmão Francisco, acima, por não o ter denunciado como chefe da conspiração de 1673. Por ter recusado sair de Portugal e insistir publica e corajosamente na sua inocência, fez recair sobre si a ira do Infante Regente D. Pedro, que nunca perdoara aos "irmãos Mendoça", como se lhes referia o Padre António Vieira", a sua altivez, o seu poder político e financeiro e, sobretudo, a sua indefectível lealdade ao Rei legítimo, destronado e humilhado. Por todos estas razões, Jerónimo de Mendoça foi enviado para a India, onde morreu. Entretanto, foram-lhe confiscados os bens livres e foi impedido de suceder a seu irmão Luis nos bens da Coroa e vinculados. O título de Conde de Lavradio reverteu, assim, para a Coroa, sendo atribuído a outra família, os Almeida-Avintes, 48 anos depois, em atenção aos serviços prestados à Coroa e à Igreja de Portugal por D. Tomás de Almeida, o primeiro Cardeal Patriarca de Lisboa, tio paterno do agraciado. De D. Ana Henriques, fª de Gil Vaz Lobo e de s/mer D. Briolanja Henriques, teve geração em Bivar Albuquerque de Mendoça e Weinholtz (Bivar Weinholtz), Viscondes de Bivar, Bivar Moreira de Brito Velho da Costa (dos Morgados da Messejana), Bivar, de Torres Novas e Abrantes, etc.




3 comentários:

ricardo bleauclerc disse...

Era filho de João Vaz de Almada e de sua mulher Joana Anes. Os Almadas não eram de sangue nobre, mas descendente de uma família de comerciantes que fez sua fortuna no comércio exterior4 . A família residia principalmente em Lisboa e Algés. Álvaro tinha um irmão mais novo chamado Pedro Vaz de Almada e dois meio-irmãos, nascidos fora do casamento, por uma mãe desconhecida: João Vaz de Almada, 1 º Senhor de Pereira (nascido c.1400) e Brites de Almada.

Luís Bivar de Azevedo disse...

A Genealogia é uma ciência auxiliar da História, que vem ganhando cada vez mais autonomia, dada a facilidade cada vez maior de acesso às fontes primárias e outra documentação. Isto para dizer que as suas considerações sobre a nobreza dos Almada são no minímo superficiais. Com efeito, a generalidade dos genealogistas credíveis, sustentados por documentação idónea, aceita o seguite:
.Vasco Lourenço de Almada, descendente de um cavaleiro inglês, que teria sido Mestre de Campo de Guilherme de Longa Espada,ajudou o Rei D.Afonso Henriques na conquista de Lisboa, tendo recebido como recompensa a donataria de Almada.Está sepultado na sacristia da Igreja de São Mamede, em Lisboa. Teve:
. João Anes de Almada,viveu nos reinados de D. Afonso IV, D. Pedro I e D. Fernando, sendo Vedor da Fazenda deste ultimo, que lhe fez mercê do título hereditário de General do Mar. Foi ainda Embaixador a Aragão e morreu com 119 anos. C.c.D. Urraca Martins.Teve:
Vasco Lourenço de Almada, que segue.
.Martim Anes de Almada, c.g. em Carreiro de Almada, Portocarrero de Almada, Condes-Viscondes da Macieira, etc
.Vasco Lourenço de Almada, Instituidor do Morgado dos Almada.C.c. D. Maria da Cunha, fª de D. João Lourenço da Cunha e de s/mer D. Maria Viegas.Teve
. João Vasques de Almada, que segue.
.Antão Vasques de Almada, Cavaleiro da Ordem da Madresilva
. Joana Vasques de Almada c.c.Afonso Anes Nogueira, Alcaide-Mor de Lisboa, c.g. em Condes dos Arcos, Marqueses de Castelo Melhor e de Ponte de Lima, Bivar e grande parte da Nobreza de Portugal.
.Maria Vasques de Almada c.c.Diogo Alvares de Pina c.g.em Pinas da Guarda e do Alentejo.
. João Vasques de Almada, II Sr. do Morgado dos Almadas, Alferes-mor de Lisboa, achou-se com D. João I em Aljubarrota, embaixador ao Rei Henrique IV de Inglaterra, que lhe conferiu a Ordem da Jarreteira. C.c.D. Maria ou Joana Anes, fª de Joane Anes. Teve
.D.Alvaro Vaz de Almada, I Conde de Avranches c.g. indicada
. D. Pedro Vaz de Almada c.c.D. Leonor Gouveia de Queiroz, c.g.em Condes das Galvêas, Condes da Barca, Viscondes de Mozelos, etc
. João Vaz de Almada (B), o Calça, Sr. de Pereira, Capitão de Chaul, Vedor da Fazenda e do Conselho de D. Afonso V. C.c. D. Violante de Castro, c.g. Soares de Albergaria, Capitães Donatários da Ilha de Santa Maria, Açores, Bivar, etc.
. D. Brites de Almada, terá casado em Inglaterra com o Conde de Arundel, supondo-se que s.g.

Mesmo que a origem inglesa dos Almada possa levantar dúvidas a alguns, pela distância do tempo, o seu percurso em Portugal é por demais conhecido e documentado e a sua nobreza pública e notória, pelo que se não vislumbram razões válidas para o comentário produzido.
Luis Bivar de Azevedo

.

Anónimo disse...

«O que não resta duvida é que a família dos Almadas, tornou-se bastante conhecida em todos os tempos, não precisando que se esclareça a sua origem, pois que, bastam dois ou três fidalgos que a ela pertenceram, para a tornarem ilustre sob todos os aspectos porque a queiram encarar» do jornal "A Opinião" de 19 de Abril de 1906, assinado F.N. de B

Ocorreu um erro neste dispositivo